Bokashi, que adubo é esse?

Já ouviu falar de um adubo orgânico, seco, saudável para o produtor e consumidor e não agressivo ao meio ambiente?

Então, prazer, esse é o bokashi. Se diz “bocáchi” e em japonês quer dizer “matéria orgânica fermentada”.

Essa técnica foi trazida ao Brasil e adaptada por imigrantes japoneses no final da década de 80. É uma mistura balanceada de matéria orgânica submetidas a um processo de fermentação controlada. Nessa mistura pode conter materiais de origem animal e vegetal.

Recentemente, visitei o farmacêutico Henrique Tutilo, que produz o bokashi há 6 anos, para ver, tirar umas dúvidas sobre a produção e aproveitar para tirar umas fotos.

Toda a produção dele é feita em caixas plásticas vazadas (aquelas de frutas que vende nas feiras), telas  e nada mais. É bem diferente de uma composteira doméstica, que aquela caixa plástica fechada com as minhocas.

Mesmo sendo tudo aberto, não senti nenhum cheiro de lixo ou comida podre e nem tive contato com insetos. Quando ele abriu e remexeu as caixas para me mostrar o procedimento, pude ver larvas e insetos, mas nenhum deles voando ao redor da caixa. Também não vi chorume escorrendo ou empoçado na região da compostagem.

Cada caixa depois de cheia, leva de 2 a três meses para ficar “pronto”, ou seja, para o bokashi estar apto ao uso. Outra diferença das composteiras fechada é que não existe restrições de alimentos ou matéria orgânica, podem ser descartados alimentos cítricos, gorduras, temperos fortes e até comida cozida ou processada como massas. Apesar de que não são matérias comuns nas composteiras de bokashi do Henrique.

Os nutrientes do bokashi são disponibilizados sob a forma de quelatos orgânicos, ou seja, estão presos na estrutura orgânica e, por isso, não se perdem facilmente por volatilização ou lixiviação após a aplicação.

A ação mais importante é introduzir microrganismos benéficos no solo, que desencadeiam um processo de fermentação na biomassa do local onde foi aplicado. Rapidamente, proporciona condições favoráveis à multiplicação e atuação de uma microbiota benéfica – como fungos, bactérias e fixadores de nitrogênio – que fazem parte do complexo processo de nutrição vegetal e da construção do próprio solo. Outra função desse fertilizante é estimular o aumento e a diversidade dos organismos que vivem no solo, ou seja, melhora as condições do solo para uma grande variedade de insetos, microrganismos e demais seres vivos dependentes do solo.

Isso quer dizer que além de plantas mais vigorosas, o bokashi é um revitalizador, reestabelecendo o equilíbrio biológico, químico e físico do solo e, consequentemente, quebrando o ciclo de algumas doenças e pragas oportunistas. Além disso, aumenta a capacidade do solo de armazenar água e drenar o excesso, desta forma, minimiza os riscos de erosão, diminui as perdas por lixiviação, promove maior disponibilização de nutrientes a partir da fermentação da matéria orgânica, incentiva o desenvolvimento e fortalecimento do sistema radicular e, ao longo do tempo, ajuda a regular o pH do solo.

O resultado final do uso desse adubo são plantas que conseguem absorver melhor os nutrientes e, consequentemente, se desenvolvem melhor.

Principais Benefícios

  • Estimula o equilíbrio da biota do solo: favorece a mesofauna e os microrganismos benéficos;
  • Suprime o desenvolvimento de doenças minimizando os danos econômicos;
  • Contem nutrientes na forma orgânica: quelados orgânicos, aminoácidos, açucares e outras que não estejam disponibilizados na forma de sais solúveis;
  • Substancias estimulantes vegetais: enzimas, ácidos orgânicos, fito hormônios, etc;
  • Matérias primas seguras, livre de contaminantes, sem resíduos poluentes, metais pesados, microrganismos patogênicos, etc.
Caixas plásticas usadas para a produção do Bokashi
Detalhe para a caixa com os vermes responsáveis pela decomposição
Caixa com a matéria orgânica recém colocada pronta (em 2 ou 3 meses o bokashi estará pronto)
Bokashi pronto para a secagem
*todas as fotos são do acervo pessoal da autora

2 comentários em “Bokashi, que adubo é esse?”

  1. Este processo é de compostagem. Não é Bokashi.
    Bokashi é feito com farelos e tortas, cinzas, melado de cana, leite, termofosfato. Entra em fermentação devido às bactérias que decompõe os amidos, celulose das tortas e farelos. Não tem ação de insetos, minhocas etc devido a temperatura que chega. É uma fermentação aeróbica. Sou produtor de Bokashi, húmus de minhoca, terra vegetal, substâncias humicas entre outros fertilizantes orgânicos.

    Responder

Deixe um comentário