• Pit

Formigas Cortadeiras e Plantas

Esses pequenos animais podem destruir plantas inteiras em algumas horas, mas a convivência não precisa ser traumática. Aqui falo um pouco sobre.




Quem são?

O que fazer?

Ainda preciso de ajuda.

Referências

 

Quem são?

Eu sei que você sabe o que é uma formiga, mas vou falar um pouco mais sobre suas características e hábitos.



As formigas são insetos sociais que estão distribuídos por todo o planeta, a estimativa dos cientistas da área é que existem entre 10 quatrilhões a 1 septilhão (um milhão de quatrilhões) delas no planeta. Só pra você ter uma idéia, 1 quatrilhão = 1 000 000 000 000 000 (são 15 zeros) ou mil milhões de milhões, ou seja, bastante.



É o inseto mais numeroso do mundo e controlam cada milímetro de terra que habitam, ou seja, elas vão cavando, revolvendo, removendo terra e outros elementos do ambiente onde estão em favor da colônia.


O benefício das formigas para a natureza é enorme e vou enumerar alguns: revolvem mais terra que as minhocas dando aeração ao solo, fazem sua própria lixeira gerando matéria orgânica para o solo e controlam outras populações de insetos, fungos e bactérias.


São seres vivos capazes de cultivarem seu próprio alimento que, no caso das cortadeiras, é um fungo. Elas controlam esse fungo com uso de bactérias para maior produção.

Dentre as 12.941 espécies de formigas, 5% são de cortadeiras e são famosinhas pelo poder destrutivo que tem em áreas agrícolas ou de reflorestamento - também não perdoam seu belíssimo jardim ornamental e/ou horta.


Aqui no Brasil, são chamadas de saúvas e quenquéns e os gêneros Atta e Acromyrmex vivem em todo o continente americano, desde o sul dos Estados Unidos até o centro da Argentina.

Com seu comportamento forrageiro, pode desfolhar entre 15 e 50% das espécies vegetais ao redor da colônia. Comportamento forrageiro é o ato de procurar, caçar/coletar alimentos ou presas vagando pela região.


Essas folhas e pedaços vegetais são levados para dentro do ninho para o cultivo de um fungo do gênero Leucoagaricus que é a base da alimentação das formigas. Ainda que as operárias comam um pouco do que é coletado.



Das 15 espécies de Atta e 32 de Acromyrmex, mais de 60 % do total de formigas cortadeiras estão presentes no Brasil. É por isso que aqui os impactos são maiores.


Dentro da colônia, as formigas têm comportamento social cooperativo onde há um grande número de indivíduos cuidando das formigas bebês (alimentação e proteção) e elas são divididas em castas reprodutivas (que vão gerar novas formigas) e não reprodutivas (que são as operárias que exercem as mais diversas atividades dentro do formigueiro).


Essas características favorecem a especialização e desenvolvimento das formigas quando comparadas com outros seres vivos, porque tudo é muito organizado como a alimentação, a reprodução e a sobrevivência. Isso garante o sucesso não só da colônia em si como de toda a espécie. E também dificulta seu controle nas áreas agrícolas.

Elas são muito seletivas quanto às espécies porque precisam de ingredientes vegetais que sejam adequados para o fungo que elas consomem e isso dificulta o uso de iscas, fungos e ou qualquer outro produto para matar formigas, porque não é garantido que elas levem para o ninho. E uma maneira eficaz de espantar as formigas do seu jardim seria matando o fungo que elas comem.


Mas e se jogar alguma coisa diretamente no fungo? Não é tão simples, porque os jardins de fungos das formigas ficam em câmaras a até 7 metros de profundidade na colônia. Além de não ser muito simples de quantificar quanto de fungo existe em cada ninho.


As formigas são tão cuidadosas com esse fungo que lambem os vegetais antes de agregar ao mesmo. Na saliva delas tem uma enzima que inibe o crescimento de qualquer outro microrganismo que possa competir com o fungo.

Outro fator que dificulta o controle da população de saúvas é a comunicação eficiente que elas possuem. Intrusos são rapidamente identificados e a informação é passada rapidamente para as outras, o que eleva o potencial de defesa de toda a colônia. Inclusive, pode ocorrer até discriminação entre os indíviduos quando uma formiga é infectada por alguma substância estranha ou tóxica. Ou seja, se alguma formiga se contamina com alguma coisa, as outras conseguem identificar e isolar aquela formiga. Tipo um cancelamento (kkkkk). Só uma breve curiosidade que li por ai, elas identificam as mais velhas e elas ficam isoladas cuidando do fungo apenas, ou seja, as velhas são enviadas pra área rural e vão passar o resto dos dias jardinando. As formigas anciãs realizando o sonho do millenial (kkkkk).


O que fazer?

Mantenha a calma, é possível conviver com as formigas em paz.


Você já entendeu que elas são seres vivos que fazem parte do meio ambiente em um complexo e delicado sistema que depende e todos os seres, né? As formigas não estão fazendo nada na mais pura maldade contra você, alecrim dourado especial. Elas estão com fome e estão fazendo o que tem que fazer para sobreviver.


Obviamente que você também precisa comer e não dá pra deixar elas destruírem tudo.


Aqui eu não vou falar de inseticidas, formicidas ou venenos. Esquece. Pra começar que somente um agrônomo pode receitar isso e mesmo assim eu sugiro que você procure um com uma conduta mais ecológica. Esses venenos contaminam o solo e a água (e possivelmente os vegetais ao redor). Tente usar os orgânicos. É possível!


Nesse espaço, vou falar de alternativas que vi em alguns estudos que mostraram resultados muito interessantes e que podem fazer toda a diferença na sua vida.



Algumas plantas possuem compostos que são repelentes para as cortadeiras e sua simples presença ao redor da planta ou entre a planta de interesse e o formigueiro evita o aparecimento das formigas olheiras (aquelas que vão atrás de novas fontes de alimento e voltam pra fofocar pras outras). Algumas espécies já conhecidas são: gergelim, arruda, hortelã, batata doce, nim, fedegoso, cenoura, mamona e cedro.


Os estudos também fizeram testes com preparados de plantas e aplicaram ao redor e nas plantas que queriam proteger. Outros aplicaram misturas no próprio formigueiro.


Uma receita que encontrei com gergelim que obteve muito sucesso em um dos estudos foi a seguinte: 40g de gergelim com 1L água, leva ao fogo até ferver. Depois deixa descansar por 24h e pode coar. No estudo eles aplicaram 150ml desse líquido dentro do formigueiro com ajuda de um funil e sem destruir o formigueiro a cada 15 dias (4 aplicações). O estudo também disse que usar só as sementes também dá bons resultados.



Outra receita que eu achei bem fácil de fazer foi um chá com a arruda. Na tabela (retirada do estudo de Teixeira, referência completa no final), tem mais algumas espécies e como são usadas na agricultura familiar conforme o estudo relata.















Um outro estudo relata que os derivados botânicos mais promissores pertencem às famílias Meliaceae, Rutaceae, Asteraceae, Annaceae e Canellaceae e, óleos essenciais, principalmente das espécies pertencentes às famílias Lamiaceae e Myrtaceae estão entre as plantas inseticidas com resultados notáveis.


E agora um lembrete importante: grandes infestações acontecem em função de desequilíbrio ambiental. Geralmente, porque esses insetos não tem predadores naturais o suficiente para controlar a população de formigas cortadeiras. A tabela abaixo mostra alguns predadores naturais das cortadeiras, atraia esses animais para seu jardim. Frutíferas atraem muitos pássaros e eles são um importante grupo no controle de população de vários insetos, não só formigas. O quadro foi retirado do Anais do curso de atualização de controle de formigas cortadeiras (a referência completa está no final do texto).








Ainda preciso de ajuda!

Se você ainda está com muita dificuldade para entender como é a luminosidade da sua casa, você pode marcar uma consultoria comigo. A consultoria pode ser agendada aqui no site mesmo ou por WhatsApp (11 93750 3135).

Se preferir um material tipo um manual, eu também tenho. Basta clicar aqui.







Referências:

Eu sei que as referências não estão nas normas ABNT, mas é só para você poder procurar e ler os artigos.

Barbosa, F.R., Siqueira, K.M.M., Moreira, W.A., Haji, F.N.P. and de ALENCAR, J.A., 2000. Estratégia de controle do pulgão da acerola em plantios irrigados no submédio São Francisco. Embrapa Semiárido-Séries anteriores (INFOTECA-E).

CAMPOS, A.E.D.C. and ZORZENON, F.J., 2018. Programa de sanidade em agricultura familiar–formigas cortadeiras.

COZENTINO, Noemi Carla Baron. Isolamento e caracterização de fungos de solo de interesse na promoção de crescimento de plantas. Orientador: Everlon Rigobelo. 2019. 119 p. Tese de Doutorado (Doutorado em Microbiologia Agropecuária) - Universidade Estadual Paulista (Unesp), Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias, Jaboticabal, SP, 2019. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/182274. Acesso em: 13 out. 2021.

da Silva, J.P., de Souza, L.L., de Melo, C., Neto, S. and Barreira, S., 2020. INSETICIDAS BOTÂNICOS NO CONTROLE DE FORMIGAS. DESAFIOS-Revista Interdisciplinar da Universidade Federal do Tocantins, 7(4), pp.163-171.

de Abreu, J.M. and Delabie, J.H.C., 1986. Controle das formigas cortadeiras em plantios de cacau. Revista Theobroma, 16(4).

Fujihara, R.T., de Souza Silva, M. and Forti, L.C., MANEJO DE FORMIGAS CORTADEIRAS. TÓPICOS ESPECIAIS EM PROTEÇÃO DE PLANTAS, p.103.

Marinho, C.G.S., Della Lucia, T.M. and Picanço, M.C., 2006. Fatores que dificultam o controle das formigas cortadeiras. Bahia Agrícola, 7(2), pp.18-21.

Oliveira, M.D.F.S.D.S.D., 2006. Controle de formigas cortadeiras (Hymenoptera: Formicidae) com produtos naturais.

Pereira, J.R., 2021. Métodos de controle de formigas cortadeiras em sistemas orgânicos de produção: uma revisão. Revista Ambientale, 13(4), pp.10-24.

Silva, B.L.D., 2017. Controle da formiga cortadeira (Atta sexdens rubropilosa) em agricultura orgânica no bioma Cerrado.


Teixeira¹, M.D.S., Pereira, A.R., Bento, I.A.B. and Wagner, P.F.G.B., O USO DE PLANTAS MEDICINAIS E AROMÁTICAS NO CONTROLE DE PRAGAS EM HORTAS CASEIRAS NA COMUNIDADE DE CALDEIRÃOZINHO, MUNICÍPIO DE CENTRAL-BA.

Wilcken, C.F. and Berti Filho, E., 1994. Controle biológico de formigas cortadeiras. PCMIP/IPEF, pp.1-5.

Qual ser vivo domina a Terra?. Nic Flemin. BBC Earth. 2015 https://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/03/150304_vert_earth_ser_vivo_dominante_ml




Imagens:

Google imagens







40 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo