• Pit

Terra de Diatomáceas para Plantas

O que é terra de diatomáceas? Para que serve? Funciona para plantas?


Você já deve ter visto por aí sobre a terra de diatomáceas ser inseticida e que seria uma boa possibilidade para controlar infestações de insetos predadores nas suas plantas. Nesse post nós vamos falar um pouco sobre isso.



O que é Terra de Diatomácea?

Para que serve?

Dá pra usar nas plantas?

Bônus

Ainda preciso de ajuda.

Referências

 

O que é Terra de Diatomáceas?

A terra de diatomáceas é um pó feito de algas diatomáceas que possui a sílica como principal ingrediente.


As algas diatomáceas são microscópicas e unicelulares, fotossintetizantes, encontradas em água doce e salgada e podem ser solitárias ou podem formar colônias colônias. Além de participarem da composição do fitoplâncton, participam da produção do oxigênio que respiramos e constituem a base da cadeia alimentar. A parede celular dessas algas é composta praticamente de dióxido de silício, ou seja, sílica.




Quando morrem, as algas se depositam no fundo de oceanos e lagos e milhões de anos depois formam um tipo de rocha sedimentar chamada de diatomito (resumindo bem esse processo). E é dessa rocha que é feita a terra de diatomáceas.



A sílica tem a capacidade de desidratar os insetos até a morte, o que pode levar de um a sete dias. Mas isso só acontece se o pó entra em contato direto com os insetos.



Pra que servem?

São usadas há muito tempo como inseticida em celeiros e armazéns de grãos.


Além de se tratar de um produto seguro para operadores e consumidores dos grãos, é um inseticida duradouro (não perde o efeito por um longo tempo) que não reage com outras substâncias sólidas, apenas reage com água se solubilizando nela. Para esse uso, os grãos devem estar secos (13% de umidade apenas), porque a umidade pode neutralizar efeito da terra de diatomáceas. Ao final do período de armazenamento, os grão não sofrem nenhum dano e podem ser consumidos sem nenhum problema.


Dá pra usar nas plantas?

Sim dá! É possível usar a terra de diatomáceas nas plantas de algumas maneiras. Mas talvez não seja como você está imaginando e explico a seguir.



Muitos estudos foram feitos com esse produto e o que realmente foi notável na maioria deles foi o aumento de absorção de macro e micronutrientes pelas plantas, aumento de produtividade (e aumento de biomassa) para algumas culturas, melhor enraizamento de mudas, maior tolerância à estresses, melhor desenvolvimento das plantas e até menor absorção de cádmio pelas plantas em solos contaminados. O cádmio é tóxico e se acumula nos tecidos de vegetais e posteriormente se acumulam nos tecidos de quem os consome sucessivamente e alguns estudos mostram que a presença da terra de diatomáceas inibe a absorção do cádmio pelas plantas, deixando-as seguras para o consumo.


Porém, há poucas evidências científicas de que a terra de diatomáceas seja inseticida para as infestações de inseto nas plantas, ou seja, não resolve os problemas com insetos sugadores como cochonilhas ou pulgões. Pelo menos não sozinha. Os estudos que tiveram melhores resultados com a terra de diatomáceas tinham outros compostos na formulação dos inseticidas. Encontrei apenas um estudo que relatou diminuição de um besourinho que come folhas de batateiras. O nome do estudo é "Efeitos da terra diatomácea sobre Diabrotica speciosa (Germar, 1824)(Coleoptera: Chrysomelidae) em batata inglesa" e a referência completa está logo abaixo se você quiser se informar melhor. Porém, um único estudo com efeitos positivos não é suficiente para sustentar essa hipótese, visto que existem tantos outros que dizem o contrário.


O que se constatou é que as células das plantas tratadas com a terra de diatomáceas tinham mais sílica na composição das folhas e, por isso, as células eram um pouco mas resistentes e que isso pode ter levado a diminuição do "tombamento" das plantas.



Então, misturar a terra de diatomáceas no substrato pode ser benéfico. Para facilitar o uso, você pode dissolver uma colher de sopa em um litro de água e regar as plantas. Você pode até tentar borrifar essa mistura nas plantas para tentar controlar insetos e pode ser que funcione, mas não há evidências científicas que validem essa teoria. E mesmo que funcione na sua casa, sem uma metodologia científica não é possível afirmar com toda certeza que o controle de infestações foi feito pela terra de diatomáceas exclusivamente.


Muito importante: não deve ser usado como único adubo, suas plantas precisam de adubação completa. Essa terra de diatomáceas é apenas um complemento. Busque adubos orgânicos como húmus, Bokashi ou outros adubos de composteiras.


Bonus


A terra de diatomáceas se mostrou muito eficaz no controle de cascudêinhos (insetos parasitas de aves) em ninhos de galinhas, com o objetivo de melhorar a qualidade vida dos animais em grandes criadouros. Não é muito comum em pequenos galinheiros, mas se você tem galinhas e notou insetos nos ninhos ou nos ambientes pode usar cerca de 250g de terra de diatomáceas por metro quadrado que ocorre diminuição de até 70% desses insetos em menos de um mês.


Ainda preciso de ajuda!

Se você ainda está com muita dificuldade para entender como é a luminosidade da sua casa, você pode marcar uma consultoria comigo. A consultoria pode ser agendada aqui no site mesmo ou por WhatsApp (11 93750 3135).

Se preferir um material tipo um manual, eu também tenho. Basta clicar aqui.



Referências:

Assis, F.A., Moraes, J.C., Nascimento, A.M. and Françoso, J., 2011. Efeitos da terra diatomácea sobre Diabrotica speciosa (Germar, 1824)(Coleoptera: Chrysomelidae) em batata inglesa. Ciência e Agrotecnologia, 35, pp.482-486.

Braga, F.M., 2016. Produção de mudas de eucalipto em vermicomposto com lodo de esgoto, resíduos vegetais e terra diatomácea. http://hdl.handle.net/1843/NCAP-AZYL9Z

de Souza Gonçalves, P.A., 2007. Manejo de Thrips tabaci em cebola orgâ nica com terra de diatomáceas. Revista Brasileira de Agroecologia, 2(3).

Das, K.K., Swamy, G.S., Biswas, D. and Chnaniya, K.K., 2017. Response of soil application of diatomaceous earth as a source of silicon on leaf nutrient status of guava. Int. J. Curr. Microbiol. App. Sci, 6(4), pp.1394-1399.

Corrêa, J. C., Büll, L. T., & Mauad, M. (2010). Nutrição, crescimento e pegamento a campo em mudas de café formadas em diferentes tipos de substratos. Agrarian, 2(4), 49–62. Recuperado de https://ojs.ufgd.edu.br/index.php/agrarian/article/view/546

Escobar, N., Espejo, J. and Rodríguez, L., 2014. Evaluation of the effect of diatomaceous earth as a sustainable alternative in commercial interest crops in Colombia. WIT Transactions on Ecology and the Environment, 181, pp.409-418.

Gonçalves, P. A. de S. (2007). Manejo de Thrips tabaci em cebola orgânica com terra de diatomáceas. Revista Brasileira De Agroecologia, 2(3). Recuperado de https://revistas.aba-agroecologia.org.br/rbagroecologia/article/view/6568

Javaid, M.A., Rasool, A. and Yaseen, A., 2018. Bio-efficacy of enhanced diatomaceous earth with boric acid against Citrus mealy bug (Planococus citri). J Agric Sci Bot. 2018; 2 (2): 29, 33.

Korunić, Z.K., Rozman, V., Liška, A. and Lucić, P., 2016. A review of natural insecticides based on diatomaceous earths. Poljoprivreda, 22(1), pp.10-18.

Lorini, I., Ferreira Filho, A., Barbieri, I., Demaman, N.A., Martins, R.R. and Dalbello, O., 2001. Terra de diatomáceas como alternativa no controle de pragas de milho armazenado em propriedade familiar. Agroecologia e Desenvolvimento Rural Sustentável, 2(4), pp.32-36.

Losic, D. and Korunić, Z., 2017. Diatomaceous Earth, A Natural Insecticide for Stored Grain Protection: Recent Progress and Perspectives, 219-247. Diatom Nanotechnology: Progress and Emerging Applications (Ed. D. Losic). Royal Society of Chemistry Publishing, Cambridge, UK, 270.

Lutyński, M., Sakiewicz, P. and Lutyńska, S., 2019. Characterization of diatomaceous earth and halloysite resources of Poland. Minerals, 9(11), p.670.

Mills-Ibibofori, T., Dunn, B., Maness, N. and Payton, M., 2019. Use of diatomaceous earth as a silica supplement on potted ornamentals. Horticulturae, 5(1), p.21.

Nascimento, C.W.A.D., Silva, F.B.V.D., Araújo, P.R.M., Araújo, J.D.C.T.D. and Lins, S.A.D.S., 2021. Efficiency and recovery index of silicon of a diatomaceous Earth-based fertilizer in two soil types grown with sugarcane and maize. Journal of Plant Nutrition, 44(16), pp.2347-2358.

Nukenine, E.K., Goudoungou, J.W., Adler, C. and Reichmuth, C., 2010. Efficacy of diatomaceous earth and botanical powders against the maize weevil, Sitophilus zeamais Motschulsky (Coleoptera: Curculionidae) on maize. Julius-Kühn-Archiv, (425), p.881.

Shafighi, Y., Ziaee, M. and Ghosta, Y., 2014. Diatomaceous earth used against insect pests, applied alone or in combination with Metarhizium anisopliae and Beauveria bassiana. Journal of Plant Protection Research, 54(1).

SILVA, Josévaldo Ribeiro; VELOSO, Venâncio de Lima; SILVA, Fernando Bruno Vieira da and NASCIMENTO, Clístenes Williams Araújo do. Acúmulo de cádmio, silício e nutrientes por plantas de milho cultivadas em solo contaminado e adubado com fertilizante terra diatomáceas.Cienc. Rural [online]. 2021, vol.51, n.2, e20190804. Epub Dec 11, 2020. ISSN 0103-8478. https://doi.org/10.1590/0103-8478cr20190804.

Singh, B. and Singh, V., 2016. Laboratory and field studies demonstrating the insecticidal potential of diatomaceous earth against wheat aphids in rice-wheat cropping system of Punjab (India). Cereal Research Communications, 44(3), pp.435-443.

SOUSA, R.R.P., DE ASSIS, F.A., DE ASSIS, G.A., CARVALHO, F.J. and FERNANDES, M.I.D.S., 2020. Parâmetros fitotécnicos e entomofauna associada ao rabanete submetido à aplicação de terra diatomácea. Revista Scientia Rural-ISSN 2178-3608, 1(1).

SOUZA, Diogo Ronielson Marinho de. Efeito do silício sobre a fisiologia, produção da planta e qualidade dos cachos de videira Arra 15® no vale do São Francisco. TCC (Bacharelado em Agronomia) - Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sertão Pernambucano, Campus Petrolina Zona Rural, Petrolina, PE, 17 f., 2021.

Viteri Jumbo, L.O., Pimentel, M.A., Oliveira, E.E., Toledo, P.F. and D'Antonino Faroni, L.R., 2019. Potential of diatomaceous earth as a management tool against Acanthoscelides obtectus infestations. Revista de Ciencias Agrícolas, 36(SPE), pp.42-51.

Wojciehovski, P., Pedrassani, D. and Fedalto, L.M., 2015. Terra de diatomáceas para controle do Alphitobius diaperinus em granjas de frango de corte. Saúde e meio ambiente: revista interdisciplinar, 4(1), pp.66-78.

Zeni, V., Baliota, G.V., Benelli, G., Canale, A. and Athanassiou, C.G., 2021. Diatomaceous earth for arthropod pest control: Back to the future. Molecules, 26(24), p.7487.



Imagens:

Earth Magazine

Dicalite Europe

Mindat.org



22 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo